Ter
Qua

Preço mínimo garantido

Cancelamento gratuito (até 24 horas antes da chegada)

Seminario Menor (Santiago)

Abertura em 16 de julho

La Magdalena (Sarria-Lugo)

Fechado temporariamente

Preparação física

O Caminho, tanto por distâncias como pelos diferentes traçados, geralmente é difícil, por isso precisamos preparar-nos fisicamente. É bom pensar nisso com pelo menos três meses de antecedência. A idade e as condições físicas pessoais aconselharão mais ou menos tempo.

O sucesso de uma boa preparação física é percorrer cada dia distâncias maiores para conseguir, sem grande fadiga, percorrer os quilômetros médios diários que traçamos na peregrinação. É conveniente anotar os quilômetros que podemos cobrir num dia. As nossas metas devem ser realistas, começando com distâncias curtas e não muito ambiciosas, ou cairemos em desânimo.

A frequência de treino será condicionada pelas nossas ocupações. Em princípio, uma saída semanal é suficiente, mas devemos ir em progressivo aumento até conseguir-mos que seja diária (neste caso, o número de quilômetros não importa).

Durante o último mês, é conveniente sair para treinar carregando a mochila com o peso programado. Os músculos dos joelhos e tornozelos serão fortalecidos e não nos causarão incômodos quando estejamos a peregrinar.

A média normal que os peregrinos geralmente cobrem por etapa é de cerca de 20 ou 25 quilômetros por dia.

 

Bicicletas

Quanto à preparação para fazer o Caminho de bicicleta, devem-se seguir os mesmos conselhos que para fazê-lo a pé.

A bagagem deve ser transportada em duas sacolas com os pesos distribuídos uniformemente. Antes de iniciar o Caminho é necessário aprender a fazer os pequenos consertos que podemos precisar ao longo do Caminho, colocar um remendo em um pneu furado, ajustar os freios e as mudanças de marcha, etc.

A média normal que os peregrinos geralmente cobrem por etapa é de cerca de 50-75 km por dia, dependendo da área pela qual eles viajam (plano ou montanha).

 

 

 

A bagagem e a indumentária do peregrino

A nossa bagagem individual deve ser formada pelo que é estritamente necessário. Temos que pensar que teremos que carregá-lo por muitos quilômetros e a experiência diz que o excesso de peso nas costas acaba por enfraquecer as nossas energias e e por machucar os nossos tornozelos e joelhos. Além disso, devemos lembrar que o objetivo da peregrinação é viver na pobreza nesses días. Se for fazer o Caminho de bicicleta, evite mochilas ou peso nas costas.

O traje do peregrino foi constituído ao longo dos séculos. Inicialmente, foi adotada a roupa dum viajante normal: com manto e túnica curta para a viagem a pé, roupas para proteger-se do frio e chapéu de abas largas para o sol e a água. Com o passar do tempo, o báculo, a abóbora que servia de cantil, a mochila e a concha de vieira tornaram-se elementos clássicos do vestuário do peregrino.

A coisa essencial na bagagem do peregrino atual seria a mochila (leve e anatômica), o saco-cama, a esteira, um poncho de chuva que cubra a mochila, roupa de frio, um maiô, um kit básico de higiene para o banheiro, chinelos pessoais de borracha para o chuveiro, um fato de treino, um pequeno saco de plástico com detergente para a roupa, um rolo de papel higiénico e um kit de emergência básico (álcool, gaze, esparadrapo de seda, Betadine, emplastros, protetor solar, agulha e linha para o tratamento de bolhas, tesouras pequenas, vaselina, repelente de mosquitos, anti-histamínicos – em caso de alergia – e aspirinas).

Também é importante lembrar-se de trazer um boné e óculos de sol, um caderno e uma caneta e, acima de tudo, o cartão de cidadão e o cartão de saúde. Pode ser prático ter uma faca multiuso, uma pequena lanterna, um isqueiro e um copo de aluminio ou de latão. O calçado adequado será botas de caminhada ou tênis esportivos, nunca novos, mas já bem usado e tendo verificado que não incomoda. Recomenda-se que o calçado segure o tornozelo para evitar entorses, também que seja impermeável e respirável para evitar problemas derivados da transpiração excesiva. Alguns peregrinos recomendam colocar dois pares de meias (um de algodão fino e um mais grosso acima), mas a maioria considera um único par com o pé de pelúcia é suficiente.

Um simples cajado redondo à altura da pessoa que o leva (bordão) é de muita ajuda e mais prático do que uma bengala. Um chapéu será muito útil, pois perservar-nos-á dos rigores climatológicos.

Vá ao seu Centro de Saúde, eles irão aconselhá-lo, especialmente se você seguir algum tipo de tratamento ou sofrer de um problema de saúde. Pessoas com problemas alérgicos devem considerar a estação do ano. Atualize o seu calendário de vacinação, especialmente a vacina contra o tétano.

 

Durante a peregrinação

  • Prevenha as queimaduras solares usando os primeiros días calças e camisas longas e, claro, protetor solar. Evite andar nas horas mais quentes do dia, comece o mais cedo possível.
  • Cuidar dos pés é essencial. É comum que bolhas apareçam nos primeiros dias. Se elas aparecerem, tem que mantê-las muito limpas e se forem muito grandes, extraia o líquido. É aconselhável tomar banho após o esforço físico, mas se for feito de manhã, não deve ser feito com água muito quente, pois predispõe a pele a escoriações ou bolhas.
  • Não ande muito rápido nos primeiros dias, não se force a seguir o ritmo de ninguém se não estiver preparado para isso.
  • Beba água com freqüência, mas sempre certifique-se de que é potável. Tenha muito cuidado com sua dieta, lave bem frutas, legumes e verduras e consuma sempre maioneses industriais. Isso ajudará a evitar a gastroenterite.
  • Nunca se afaste dos caminhos, evite andar quando escurece e respeite as regras da estrada. Se você fizer o percurso de bicicleta, lembre-se de que o uso do capacete e do colete de alta visibilidade é obrigatório.
  • Aqueles que usam um carro de apoio são fortemente solicitados a não irem adiante ocupando as camas dos albergues, fazendo com que os peregrinos que carregam as suas mochilas não encontrem lugar para dormir, é claro, o motorista não pode usar nem a credencial nem a rede de albergues. Nós encorajamos a colaborar com a doação / oferenda do peregrino quando solicitado nos albergues ou no centro de acolhimento de peregrinos, disto depende poder expandir e melhorar os serviços. Pedimos àqueles que acessam o Caminho sem a intenção de fazer a peregrinação que procurem outros alojamentos por respeito aos peregrinos e à finalidade de abrigo cristão dos albergues do Caminho.

 

Problemas frequêntes de saúde

  • Dores musculares e contraturas: Devemos dar descanso à área afetada e repor líquidos. Caso a dor seja muito intensa, podemos tomar paracetamol. Podemos evitar as dores musculares aquecendo antes de começar a andar e seguindo o nosso próprio ritmo, sem forçar-nos.
  • Bolhas e escoriações: Podem ser evitadas usando calçado confortável e respirável, que não seja novo (como indicamos antes) Devemos lavá-las com agua fria limpa e, se forem grandes, devemos perfurá-las com uma agulha esterilizada e nunca remover a pele.
  • Desidratação: Quando estamos mais cansados do que o habitual, com desconforto, sequidão…devemos ter cuidado pois se estiver associada a febre e diarréia pode ser grave. Pode ser evitada se evitar-mos caminar nas horas mais quentes do dia e se bebemos bastante agua. Recomenda-se repouso imediato, e em caso de perda de consciência ou confusão mental, devemos ir imediatamente ao centro de saúde mais próximo.
  • Entorses, tendinite: O repouso é essencial e aplicar frio local ajudará a diminuir o inchaço.  Recomenda-se um analgésico-anti-inflamatório para aliviar a dor. Iremos ao médico se não melhorar com o repouso.
  • Queimaduras solares: Podemos evitá-las usando um chapéu, óculos escuros e protetor solar com um fator de 20 ou mais, mas caso de ter-se produzido, é importante lavar a área com água fria, mas sem esfregar, e aplicar bastante creme hidratante. Podemos tomar um analgésico em caso de dor intensa. Solicitaremos assistência médica se houver grandes bolhas ou se a área afetada for grande.
  • Picadas de insetos: Lave a área sem esfregar e aplique creme antipruriginoso. É importante sempre levar repelente de insetos e evitar perfumes que os atraiam.
  • Gastroenterite: Os seus sintomas geralmente são náuseas, vômitos, dor abdominal e diarréia. Às vezes febre e desconforto. Pode ser evitada bebendo água potável ou engarrafada, lavando bem frutas e vegetais, bem como as mãos antes de comer, e tomando cuidado para não ingerir alimentos que se degradam à temperatura ambiente. Será necessário o repouso geral, e também o digestivo (não comer nada durante 24 ou 30 horas) Iremos reintroduzindo sólidos gradualmente (evitando lácteos até a cura). A reidratação também é importante (solução comercial de 2-3 litros a cada 24 horas). Deve ir ao centro de saúde em caso de vômito incontrolável ou se não houver melhora.
  • Fungos: Para evitá-los, é importante sempre usar chinelos de borracha no chuveiro e secar bem os pés. Em caso de contágio, reforçaremos a higiene pessoal.

 

Vídeo: Conselhos para fazer o Caminho

Adriano López Vázquez, popularmente conhecido como Cándido, oferece soluções aos peregrinos que se vem em apuros. Aqui vão alguns conselhos e truques para percorrer o Caminho de Santiago

Fonte: Centro Internacional de Acolhimento do Peregrino

Albergues del Camino © 2018 | Todos os direitos reservados | Aviso legal | Política de privacidade | Política de cookies | Desenvolve: 
Ter
Qua

Preço mínimo garantido

Cancelamento gratuito (até 24 horas antes da chegada)

Seminario Menor (Santiago)

Abertura em 16 de julho

La Magdalena (Sarria-Lugo)

Fechado temporariamente